Amazon MP3 Clips

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

A Luta Da Igreja Pela Verdade


Estamos vivendo em uma sociedade pós-moderna que enxerga a verdade de uma forma totalmente diferente de como Deus a estabeleceu. Cada um tem a sua verdade e todas as verdades são verdades, o que importa é que eu sinta que esta verdade serve para mim.
E a igreja tem acompanhado essas mudanças, mas a sua atitude tem sido apática ou tem se moldado conforme a sua conveniência, são poucos que estão remando contra a maré.
Analisando o texto de João 18: 28-38, olhando para o versículo 38, Pilatos questiona Jesus sobre a sua verdade, fica claro que o pensamento pós-moderno já existia na antigüidade. A pergunta de Pilatos ecoa até hoje em nossa sociedade: “O que é verdade?” Parece que Pilatos não queria saber o que era verdade, pois ele já tinha a sua, os Judeus já tinham a deles, cada um tinha a sua verdade, a verdade de Jesus pouco interessava a eles.
A pergunta que Pilatos fez a Jesus foi porque Jesus disse que o seu reinado tem um propósito, que é testemunhar da verdade, e só os que são da verdade o ouvem (v.37). Talvez Pilatos tenha pensado: “este é mais um que diz ter a verdade como cada um tem a sua”.
Pilatos não ouviu a verdade, até se tornou indiferente a sua própria pergunta, pois a pergunta foi irônica, sendo assim, nem ele, nem todos os que o acusavam eram da verdade.
O pós-modernismo tem se infiltrado no meio da igreja questionando a verdade, mas não com interesse de buscar conhecê-la, mas com o propósito de moldar a verdade, mostrando que a verdade é subjetiva, ela é vista e entendida conforme a minha cosmovisão.
A Igreja tem deixado de pregar a verdade como verdade, tem permitido que dentro dela sejam feitas perguntas irônicas como a de Pilatos; o problema não se resume na pergunta, mas nas atitudes por detrás dela. Crentes cada vez mais buscando a satisfação do seu ego, esforçando-se para tornar-se aceitável ao mundo. Até quando iremos tolerar tal atitude pós-modernista, que é utilizada por Satanás para ferir os princípios bíblicos estabelecidos por Deus?
Não quero dizer que não devemos conhecer a pós-modernidade, até porque estamos vivendo nela. Devemos nos empenhar em conhecer como as pessoas têm visto o mundo e as verdades oferecidas, pois só desta maneira poderemos alcançar esta geração e as futuras – conhecê-la não quer dizer moldar-se a ela.
Há uma infinidade de evangelho sendo oferecido, há para todos os gostos, um verdadeiro mix é oferecido, é só colocar no carrinho pagar o preço e levá-lo. Por outro lado, temos os que se fecham dentro das quatro paredes de seus templos com medo de serem contaminados e vivem uma utopia que ainda insistem em chamar de cristianismo.
Precisamos aprender com o Mestre, Ele foi e é o nosso maior exemplo de fé e prática, a verdade está nEle e Ele é a Verdade - “Jesus disse: Eu sou o caminho, a verdade e a vida…” (João 14:6).
O propósito de Cristo era testemunhar da verdade (v.37), ele sabia para que existia e pagou um alto preço por isso, onde muitos julgavam que sua verdade não era verdade.
Ele diz ainda que só o ouviriam aquelas pessoas que fossem da verdade. É necessário estar abertos para a verdade de Jesus, pois ela é que produz libertação, “E conhecereis a verdade e a verdade os libertará” (João 8:32).
Quanto mais a igreja se aproxima do seu EU, pensando que está buscando a verdade, mais ela se afasta de Deus buscando a mentira.
Uma guerra está sendo travada contra a verdade - ou estamos de um lado ou de outro, não existe campo neutro. O inimigo já arrebanhou muitos em nossas igrejas; é hora de combatermos essas heresias que tem entrado no nosso meio, defendendo a nossa fé.
A arma que temos para isso é espiritual; para muitos pode não parecer, mas a nossa luta acontece nas regiões celestiais. A mentira deve ser combatida com a verdade e nós temos a verdade e ela é suficiente para combatê-la.
Algumas atitudes que a igreja pode tomar para combater a mentira e heresias que vêm ceifando muitos:
1 – Pregar a verdade – Ela está na Bíblia e é a Palavra de Deus
2 – Promover seminários e estudos que falem das heresias e seitas
3 – Quando perceber movimentos heréticos se aproximando da igreja, cortar o mal pela raiz
4 – Investir constantemente no discipulado
5 – Quando alguém de outra igreja estiver migrando para a sua igreja, entenda o que ela crê e discipule-a.
6 – Mostre amor por aqueles que estão tentando deturpar a verdade, mas repudie a mentira
7 – Não tenha medo, o Senhor é contigo.
Fonte: Amme Evangelizar

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Solidariedade


Solidariedade deve ser uma prática de todo ser humano, independente de religião, partido político ou filosofia de vida. Fazer boas obras não determina se a pessoa é boa parente Deus e que através disso vai garantie a sua salvação. Ao tentar evangelizar um católico, ele me disse que não adianta só falar do evangelho, e que ele estava praticando o verdadeiro evangelho ao fazer boas obras, se referindo ao desastre em Santa Catarina.
Essa idéia está errado, pois o verdadeiro evangelho não consiste em dar algo material a alguém, e sim, receber algo espiritual de Deus em Cristo. A maior obra que alguém pode fazer, é a de levar o evangelho da salvãção aos perdidos, pois Cristo disse, "de graça recebestes, de graça dai".
Como cristãos temos que entender e afirmar ao sermos questionados por católicos ou espíritas que nós fazemos boas obras sim e muito mais do que eles, pois a maior obra de todas e pregar o evangelho, que leva o homem ao arrependimento e a vida eterna. Claro que não podemos esquecer da solidariedade para com todos, pois a Bíblia diz "façamos bem a todos, principalmente ao domésticos da fé". Sendo assim, vamos ajudar nossos compatriotas catarinenses nessa fase difícil de duas vidas, orando para que eles possam abrir o coração para a Palavra de Deus. Nesta figura ao lado você encontra a informação de como ajudar financeiramente.
Pr. Daniel Barros

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

As versões da Bíblia vieram para ajudar ou complicar?

PORQUE NÃO DOU UM TOSTÃO PELA BÍBLIA VIDA NOVA ANOTADA POR RUSSELL SHEDD

1.Introdução

"Nada acrescentes às Suas Palavras, para que não te repreendas e sejas achado mentiroso" (Prov. 30:5-6)
O ataque satânico contra a palavra de Deus remonta o Jardim do Éden. A primeira intervenção de Satanás na História foi adulterando e pondo dúvida na Palavra de Deus: nascia a primeira Bíblia na Linguagem de Hoje! O primeiro pecado de Eva foi o de aceitar a suposta palavra de Deus "modernizada" da boca do Diabo. Séculos mais tarde, Satanás recorreu novamente às Escrituras para tentar o Mestre Jesus em Mateus 4:1-11. Com o passar dos séculos, após a consumação da revelação de Deus no Apocalipse, o ataque satânico ficou mais bem elaborado, usando supostos crentes e sociedades Bíblicas. Nasciam as "versões", com textos modernistas e com abundantes notas de rodapé elaboradas com toda sofisticação. Vejamos os sérios problemas da Bíblia Vida Nova de Shedd .

2.Não uso a Bíblia Vida Nova de Shedd porque o Texto da Edição Revista e Atualizada é fraco e duvidoso.
A Sociedade Bíblica do Brasil (SBB) publicou a Bíblia Edição de João Ferreira de Almeida Revista e Atualizada, tomando por base o texto crítico (T.C.), rejeitado pela cristandade de 19 séculos e publicado apenas em 1881 por dois heréticos liberais (Westcott e Hort). O texto inicial que João Ferreira de Almeida usou, todavia, foi o Textus Receptus (T.R.) e Massorético, que é usado na Bíblia publicada atualmente pela Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil ( Corrigida e Fiel) muito superior ao texto crítico (T.C.), que dentre outras omissões, é ecumênico e por isso mesmo, enfraquece várias doutrinas da fé cristã.

3. Não uso a Bíblia Vida Nova de Shedd porque as notas de rodapé sobre a criação em Gênesis 1 são heréticas, contendo erros grosseiros.

Bastaria o motivo do texto duvidoso e os homens envolvidos com ele, para qualquer crente sério rejeitar esta versão, porém, vamos adiante e analisemos as infelizes notas de rodapé logo no primeiro parágrafo e na primeira página desta Bíblia. O Dr. Shedd, não escondendo ser um evolucionista teísta, teve a audácia de levantar o argumento falido e ridículo da teoria do intervalo entre o verso 1 e 2 de Gênesis 1, dando a entender que "cristãos genuínos" aceitam tal absurdo e que "Bem pode ser que milhões de anos tivessem transcorrido entre os vv 1 e 2...". Tal compromisso modernista, dando espaço para a satânica teoria da evolução, é uma traição às Sagradas Escrituras que não deve ser patrocinada por nenhum crente sério que ama a palavra de Deus. Pela limitação de espaço, não se poderá comentar toda a falácia dessas colocações, no entanto, o leitor inteligente logo percebe que não poderá confiar num comentarista que, em sua primeira intervenção, comete um gritante e inaceitável erro. Os evolucionistas teístas, querendo agradar a Deus e ao diabo ao mesmo tempo, abraçam a teoria da evolução para ser aceitos entres os infiéis e ao mesmo tempo dizer que crêem na palavra de Deus. A teoria do intervalo entre o verso 1 e 2 foi popularizada por Thomas Chalmers, fundador da Free Church of Scotland, e implementada por Scofield na sua "Scofield Reference Bible", anotada em rodapé em 1917. Justamente na época em que os crentes sem convicção, intimidados pela avalanche evolucionista do livro "Origem das Espécies", não queriam ficar fora de moda e abraçaram, como hoje, esta espúria e estapafúrdia explicação. Mas afinal, o que é a teoria do Intervalo?
A teoria do intervalo é nada mais, nada menos que o evolucionismo arrombado criminosamente dentro do Gênesis. Esta teoria (existem muitas variantes) diz que, após a criação feita no verso um, ocorreram as eras geológicas de milhões de anos, surgiu uma raça pré-adâmica, onde reinou a morte por causa da queda de Satanás, terminando todo esse delírio com um dilúvio, o dilúvio de Lúcifer. Quanta heresia! Onde está isto na Bíblia? Querendo corromper a palavra de Deus, os hereges, tendo
comichão nos ouvidos, negam-na, inventando fábulas segundo as suas próprias concupiscências (2Tim 4:3-4). A afirmação que a morte veio antes de Adão está entre essas fábulas! Veja que isto tudo é mentira! Rom 5:12-14 .

4. Não uso a Bíblia Vida Nova de Shedd porque notas de rodapé sobre o dilúvio são heréticas e contém erros grosseiros.

Em Gên. 7:19 lemos sobre o dilúvio: "E as águas prevaleceram excessivamente sobre a terra; e todos os altos montes que havia debaixo de todo o céu, foram cobertos." As palavras sublinhadas correspondem ao hebraico "kol". Esta partícula, é clara e foi corretamente traduzida por "todo" ou "todos", significando a abrangência total, como por exemplo em Sal 103:19, 145:9 e Jer 51:19 onde expressam a soberania de Deus sobre todas as coisas. Se as águas do dilúvio não foram despejadas sobre a totalidade do planeta, o Senhor não é soberano sobre toda a terra! Pode um absurdo desses? A idéia é clara: "...tudo, o que havia em terra seca morreu." ( Gên 7:22). O autor das notas de rodapé em pauta, entretanto, insinua que o dilúvio pode ter sido local, argumentando que "piedosos eruditos" assim acreditam. Por que esta afirmação descabida minimizando a maior catástrofe mundial? O que estaria por trás? De novo lá vem ela! A teoria da evolução está desesperadamente desgraçada se o dilúvio universal realmente ocorreu. Seria um desastre para os "piedosos" evolucionistas teístas que devotam fidelidade cega à coluna geológica de "milhões de anos" de seus amiguinhos ímpios e negam com eles a palavra de Deus. Os falsos mestres modernos sempre usam argumentos de "piedade" para intimidar os seus leitores. Em 1 Tim 6:5 Paulo alerta enfaticamente sobre os falsos mestres e escreveu sob a pena inspirada: "...Contendas de homens corruptos de entendimento, e privados da verdade, cuidando que a piedade seja causa de ganho, aparta-te dos tais.". O espaço limitado impede comentar outras graves deficiências também no apêndice como: escatologia, inferno, ordenanças, etc...

5.Conclusão

As diversas Bíblias anotadas que estão surgindo hoje são um sucesso de vendas! É Bíblia Vida Nova, é Bíblia Teen, é Bíblia Pentecostal, é Bíblia de Genebra, é Bíblia de Jerusalém, é Bíblia disso, é Bíblia daquilo! Será que precisamos dessa parafernália? Não! Sem querer mudar, os rebeldes querem uma Bíblia mudada e torcida que se adapte à sua inércia espiritual! O diabo está usando os seus fantoches para confundir mais ainda as pessoas nesses tempos do fim e de crescente apostasia. Rejeitemos os falsos mestres, que abandonaram a simplicidade do evangelho, e nos voltemos para a palavra de Deus que é uma só.
"E se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida, e da cidade santa, que estão escritas neste livro." (Apoc. 22:19)

BIBLIOGRAFIA
A BÍBLIA SAGRADA - Edição Almeida Corrigida e Fiel da Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, 1995.
BÍBLIA VIDA NOVA - SBB, 1976.
A BÍBLIA TRAÍDA, Pr. Aníbal Pereira Reis,1976.
A BÍBLIA NA LINGUAGEM DE HOJE, artigo, Júlio Carrancho, 1999.
MODERN BIBLE VERSIONS, David W. Cloud, 1994.
THE LIVING BIBLE, BLESSING OR CURSE, David Cloud, 1991.
COUNTERFEIT OR GENUINE?, David Otis Fuller, 1975.
GENESIS FLOOD, John Whitcomb - Henry Morris, 1961.
A EVOLUÇÃO É IMPOSSÍVEL, Pr. Gerson Rocha, 1990.
EXPONDO OS ERROS DA NVI, folheto, 1999.
UNHOLY HANDS ON GOD'S HOLY BOOK, David W.Cloud, 1999.
MODERN BIBLES-THE DARK SECRETS, Jack Moorman.

Elaborado por: José Pedro M. de Almeida

terça-feira, 25 de novembro de 2008

Como testemunhar ... Assim como Jesus fez

Se você puder lembrar-se de quatro pontos, pode testemunhar com confiança em qualquer
encontro. É isso mesmo.
Lembre-se de quatro pontos principais e você estará no controle de todas as conversas que
tiver sobre a sua fé. Parece que vou apresentar um conjunto de Facas Ginzu, mas eu não vou.
É realmente muito simples. Imagine, você vai saber exatamente onde você está em uma
conversa, você saberá exatamente para onde ela está indo. Você não tem que estudar grego,
você não tem que compreender arqueologia, basta lembrar quatro coisas e você está no
negócio.
Pronto? Bom, aqui vamos nós.
Antes de apresentar os quatro pontos, precisamos chegar a um acordo sobre um princípio
bíblico para testemunhar. O livro de Tiago e 1 ª Pedro afirmam que Deus resiste ao orgulhoso
e dá graça ao humilde. Deus está entusiasmado para levar o Evangelho de Jesus Cristo para
alguém, se essa pessoa tem um coração humilde. O problema é que a maioria das pessoas é
cheia de justiça própria e são orgulhosos. Se você não acha que isso está certo, simplesmente
pergunte a alguém se ela pensa que é uma pessoa boa. Tenho feito isso talvez centenas de
vezes e ninguém nunca disse, "Não, não sou uma pessoa boa”. As pessoas são orgulhosas e
Deus se opõe a elas.
Portanto, se todos são orgulhosos e Deus resiste a eles, nunca vamos compartilhar as Boas
Novas com elas? A resposta é um grande sim. Compartilhamos o Evangelho, mas só quando
alguém é humilde... Tal como Tiago e Pedro disseram. A pergunta de um milhão de dólares
então, é: "como tornar o coração de alguém humilde”? Para essa resposta, precisamos olhar
para como Jesus testemunhou para as pessoas.
Como Jesus testemunhou?
Nós normalmente não pensamos em Jesus testemunhando para as pessoas, mas foi isso
exatamente o que ele fez. Se quisermos aprender a testemunhar, efetivamente, da forma
como Jesus fez, temos que estudar como ele o fez. Vamos tirar um tempo para fazer isso, e
sempre ter em mente que o nosso princípio orientador é "Deus resiste ao orgulhoso e dá graça
ao humilde".
Em Lucas 18:18-23, um jovem rico se aproximou de Jesus e disse: "Bom Mestre". Vamos
parar bem aqui.
Jesus respondeu: "Por que você me chama de bom? Ninguém é bom, mas um, que é de
Deus”. O que isso significa, afinal? Você já se perguntou? Jesus corrigiu o conceito de bom
daquele homem. A maioria das pessoas acha que elas são muito boas ... Comparada ao “mais
ou menos”. "Sou um cara muito bom, em comparação com Osama bin Laden”. Mas Jesus quis
adequar o padrão daquele homem. Em vez de comparar-se ao seu mau vizinho, comparar-se
a Deus. A questão não é como você é quando se compara a Saddam Hussein, mas como é
quando se compara a Deus?
Então, como é comparando-se a Deus? Compare-se com a representação perfeita do caráter
de Deus, os Dez Mandamentos. Vamos ver como Jesus fez isso.
O jovem rico faz a Jesus a pergunta que muitos de nós gostaríamos de ouvir, "O que devo
fazer para herdar a vida eterna”? Bingo! Jesus tinha um peixe queria ir direto para o barco.
Este é fácil, certo? Você e eu provavelmente teríamos dito ao jovem rico “Rápido, faça comigo
uma oração antes de você mudar de idéia. Peça para Jesus entrar em seu coração”. Veja o
que Jesus fez ao invés disso. "Conhece os mandamentos: ‘Não cometerás adultério’, ‘Não
matarás’, ’Não roubar’, ‘Não perjurarem’, ‘Honra a teu pai e a tua mãe”.
O que? Jesus disse-lhe para obedecer aos mandamentos! Jesus estava de mau-humor aquele
dia? Se alguém sabe que é impossível guardar os mandamentos, esse alguém é Jesus. Jesus
veio para salvar o mundo, porque não podemos manter os mandamentos (Romanos 3:23),
então por que Jesus deu essa resposta? Vamos continuar com a história.
O jovem rico respondeu a Jesus: "Todas estas coisas tenho feito desde a minha juventude”.
Imagine isso! O jovem pensava que ele tinha realmente guardado os mandamentos. Vocês
sabem o que isso revelou? É isso mesmo, orgulho. (Você se lembra de nosso princípio
orientador?) Então Jesus cavou mais fundo, Jesus foi atrás do seu orgulho dizendo: "Ainda
falta a você uma coisa. Venda tudo o que você tem e distribua aos pobres, e você terá tesouro
no céu; e vem, siga-me”. Foi então que o jovem rico foi exposto. Sabemos isso porque a Bíblia
nos diz "quando ouviu tudo isso, ele ficou muito triste, porque era muito rico". Jesus revelou
que o jovem rico estava cheio de orgulho e não era humilde. Jesus também revelou que ele
tinha um ídolo o qual ele não estava disposto a abrir mão para seguir Jesus. Esse ídolo era o
dinheiro. Se Jesus tivesse simplesmente pedido ao homem para fazer uma oração, teria
produzido um falso convertido.
Este garoto teria mantido o dinheiro como seu deus e todos os seus companheiros cristãos
constantemente iriam sussurrar, “Porque ele não age como um cristão”? Você já se fez essa
pergunta? Você já se perguntou porquê tantas pessoas em nossas igrejas, não agem como
cristãos? Porque eles não lêem a Bíblia? Porque eles não se voluntariam? Porque eles não
dizimam?
Porque os cristãos não agem como cristãos?
A resposta é dolorosamente óbvia. Se uma pessoa não age como um cristão, é porque não é
um cristão (Tiago 1). Infelizmente, a igreja está cheia de pessoas assim. Por quê? Por que há
tantos falsos convertidos? Porque lhes têm sido apresentado um Evangelho incompleto, estão
lhes dizendo que eles têm um vazio no coração com o formato de Deus que só Jesus pode
preencher, e se eles simplesmente pediram para Jesus entrar em seu coração, Ele fará com
que se sintam satisfeitos, completos.
Este é um conceito de evangelismo dos dias moderno que é chamado de "necessidades
sentidas". Determinar qual a necessidade sentida de uma pessoa e, em seguida, apresentar
Jesus dessa maneira. Você está divorciado? Jesus vai te fazer sentir completo. Seus pais não
te amaram o suficiente? Deus quer te amar e ser seu pai. O dinheiro não te satisfez? Jesus
vai. Agora, Deus vai fazer todas essas coisas? Você pode apostar que Ele vai. No entanto, e
Isto é fundamental, se uma pessoa pediu para Jesus entrar em seu coração só para se sentir
completo, isso é um motivo falso e é muito pouco provável que ela seja realmente salva.
O vazio no coração de todos não é tristeza ou falta de realização, é retidão. Isto é muito
importante. Jesus não veio a esta terra para entregar Sua vida de uma maneira brutal, para
que pudéssemos ser felizes. Ele veio para tornar-nos retos, e todos devem vir a Ele pela
mesma razão - a de sermos feitos retos.
Se nós pedirmos que Ele entre em nosso coração para nos fazer felizes, Ele não vai entrar e
não iremos receber a verdadeira coisa que procuramos. Em vez disso, se chegarmos a Ele
humildemente (lembre-se o nosso princípio?) procurando por misericórdia, então Ele vai nos
dar... E Ele vai preenche então aquele vazio em nosso coração. Mas as primeiras coisas em
primeiro lugar, a nossa motivação em Lhe pedirmos para nos salvar deve ser a misericórdia e
não a felicidade.
Será que Jesus nos dá amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, mansidão,
fidelidade e auto-controle? Sim, mas somente depois de termos nos arrependido e colocado a
nossa confiança nele (Hebreus 6:1). Deus dá-nos esses presentes maravilhosos como os
frutos de salvação, mas não podemos e não devemos usar os presentes como um cartão de
visita para a salvação. Considere isso, se alguém gasta tempo com você só para obter o que
você tem a oferecer (dinheiro, presentes, refeições, serviço de lavanderia), você vai se sentir
usado, e com razão. Você quer alguém para passar algum tempo com você por causa de
quem você é, não pelo que você tem a oferecer. O mesmo acontece com Deus.
Seguir-Lo só porque queremos Seus presentes não é uma fé aceitável; é usar Deus como
nosso plano de auto-realização.
Para um tratamento exaustivo da razão por que a Igreja está repleta de falsos convertidos, eu
realmente recomendo que você compre e leia este livro: The Way of the Master por Ray
Comfort e Kirk Cameron.
Você também pode querer ler, ver ou ouvir a dois dos melhores sermões bíblicos sobre
evangelismo que eu já ouvi, vá aos web links listados abaixo:
• O Maior Segredo do Diabo.
Português (Texto): http://www.evangelismobiblico.com.br/Portals/0/hellsbestkeptsecret_PT.pdf
Inglês (Vídeo, áudio e texto): http://www.livingwaters.com/listenwatch.shtml
• Verdadeira e Falsa Conversão
Português (Texto): http://www.evangelismobiblico.com.br/Portals/0/TrueandFalseConversions_PT.pdf
Inglês (Vídeo, áudio e texto): http://www.livingwaters.com/listenwatch2.shtml

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

CB Remédios Está Animada!!!


Queridos amigos e irmãos, já faz duas semanas que iniciamos nossos cultos no domingo à noite, após mais ou menos um ano parados. Temos a frequência média de 18 a 20 pessoas, incluindo as crianças. Esperamos que este número aumente cada vez mais, já que estamos evangelizando o bairro e incentivando nossos irmãos a trazerem sempre que possível vizitantes. A congregação está animada e desejosa de crescer. Temos tido o apoio da IBR Adonai, que envia a cada domingo um casal para nos auxiliar na congregação, isso tem nos animado e ajudado muito. A obra do Senhor é grande demais, e quando temos irmãos apoiando desta forma o trabalho prospera e nossos ânimos estão sempre renovados. CB Remédios vamos avente, com o apoio de nossa igreja mãe IBR Lageado e igreja co-irmã, IBR Adonai. Obrigado aos pastores Rubens e Fernando, pelo apoio e orações.


Pr. Daniel

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Criando e Educando Filhos


Criando e educando os seus filhos.
..."Eu não criei nenhuma cabra!". Vovó!Ajudas práticas.1. Crie regras claras e punições claras.2. Crie regras razoáveis e tenha expectativas razoáveis.3. Crie poucas regras de cada vez, não tente ensiná-lo muitas coisas de uma só vez.4. Não puna por causa de um acidente, e deixe seu filho aprender como lidar com sua falha [acidental].5. Puna imediata e diligentemente. Não seja preguiçoso nem negligente em cumprir seu dever de pai ou mãe.6. Seja consistente, em tempo e fora de tempo.7. Seja determinado, não desista até que seu filho se submeta. 8. Seja decisivo, não permita que seu filho manipule você.9. Seja moderado em suas punições, não sejam elas leves (não fazem efeito) nem sejam elas pesadas demais (quebram o ânimo e o amor).10. Explique a seu filho a gravidade do erro dele, senão ele não a entenderá. Revise e use as regras de 1-3.11. Deixe seu filho sabe do seu amor sem reservas, mas também que seu amor não o poupará da [merecida] punição.12. Não menospreze seu filho, não se envergonhe dele, não o envergonhe na frente dos outros.13. Seja gentil. E, quando você fizer um erro, confesse-o a seu filho.14. Seja um bom exemplo. Não minta, nem peça para seu filho mentir por você. Cumpra suas promessas. Faça a sua palavra ser considerada uma certeza, ser digna de toda a confiança.15. Encoraje independência a seu filho. Não faça todas as coisas por ele. Deixe-o aprender a correr riscos sem demasido medo.16. Dê a seu filho responsabilidade. Dê-lhe Suas próprias tarefas no lar, seu próprio dinheiro, seu próprio mérito e elogio.17. Aceite sua responsabilidade para com seu filho. Se ele se comporta de modo errado, fique envergonhado e corrija-o diligentemente.18. Nunca trate seus filhos como se fossem reis, pois ninguém mais os tratará assim. Deixe-os aprender a primeiro serem servos, é bom para eles que suportem o jugo durante as suas mocidades.Pr. Brent Riggs,traduzido por Valdenira N. de M. Silva

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Outra Mulher em Minha Vida


Esta é a Giovana, a mais recente Hiper Bênção de Deus na minha vida! Não tenho palavras para expressar o quanto estou feliz pela vida dela e dos meus outros filhos. Como diz o Salmo abaixo, eles são "herança do Senhor". Também louvo a Deus pela minha esposa, a Sane, ela é uma grande esposa, Te amo amor!!!

Salmo 127
1
SE o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam; se o Senhor não guardar a cidade, em vão vigia a sentinela.
2
Inútil vos será levantar de madrugada, repousar tarde, comer o pão de dores, pois assim dá ele aos seus amados o sono.
3
Eis que os filhos são herança do Senhor, e o fruto do ventre o seu galardão.
4
Como flechas na mão de um homem poderoso, assim são os filhos da mocidade.
5
Bem-aventurado o homem que enche deles a sua aljava; não serão confundidos, mas falarão com os seus inimigos à porta.
(Texto extraída da Bíblia ACF-Soc. Biblica Trinitariana do Brasil)

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Igreja Nas Casas?


O movimento de "igrejas nas casas" é grande e crescente. Mas será ele bíblico? Isto depende de como a pessoa a define. Uma igreja esforçadamente seguidora dos padrões do Novo Testamento pode se encontrar em uma casa, ou em seu prédio próprio, ou na floresta; o lugar é irrelevante. O que é requerido para que uma igreja seja bíblica é que ela seja organizada em bases bíblicas.Isto requer a ordenação de líderes qualificados (Atos 14:23), um forte fundamento de doutrina bíblica (1 Timóteo 1:3), um sistema disciplinar bíblico (1 Coríntios 5), e um apropriado objetivo bíblico, que é o cumprimento da Grande Comissão de Cristo (Mateus 28:18-20; Marcos 16:15; Lucas 24:44-48; Atos 1:8).Paulo escreveu para Tito e disse: "Por esta causa te deixei em Creta, para que pusesses em boa ordem as coisas que ainda restam, e de cidade em cidade estabelecesses presbíteros, como já te mandei" (Tito 1:5). Havia crentes em Creta e, sem dúvida, havia famílias cristãs lá, mas alguma coisa estava faltando. Era necessário que os crentes fossem organizados em igrejas apropriadas e que pastores fossem ordenados. Hoje, não obstante, há uma muito esálhada resistência à autoridade pastoral.Reconhecemos que alguns pastores têm abusado da autoridade deles, e nós somos 100% contra tais abusos, mas isto não é desculpa para rejeitar o padrão bíblico. "Mas, se tardar, para que saibas como convém andar na casa de deus, que é a igreja do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade" (1 Timóteo 3:15). "Não deixando a nossa congregação, como é costume de alguns, antes admoestando-nos uns aos outros; e tanto mais, quanto vedes que se vai aproximando aquele dia" (Hebreus 10:25). "Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil" (Hebreus 13:17).
David Cloud.

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Fogo Estranho No Altar

Deus em sua Palavra nos revela a maneira que devemos fazer todas as coisas, de forma que lhe agrade. Ele deu a Moisés o modelo do tabernáculo, o qual devia fazer conforme a tudo que Deus tinha revelado; Moisés não tinha permissão para modificar o projeto de Deus para o tabernáculo. Dentre outras coisas estabelecidas, havia a orientação da maneira como se deveria usar o altar para queimar incenso (Ex.30:1-9). Certo dia, os filhos de Arão foram até ao altar de incenso e ofereceram "fogo estranho" (Lv.10:1). Não sabemos o que realmente eles fizeram de errado, mas a verdade é que eles sabiam o que deveriam fazer, e não fizeram, e por isso sofreram a consequência de seu pecado.
Em Cristo fomos chamados à oferecer sacrifícios de louvor, tanto através de nossos lábios como pela nossa maneira de viver. Em tudo devemos honrar e glorificar a Deus. Mas parece que algumas pessoas, principalmente aqueles que são conhecidos como "ministros de louvor", "adoradores" etc, estão usando da liberdade em Cristo de uma maneira que não tem edificado a igreja. Muitas modas tem surgido através destas personalidades, desde a imitar animais e atribuir isso a unção do Espírito Santo. Falta discernimento tanto para eles, como para aqueles que os "idolatram". Existem várias formas de louvar-mos ao Senhor, mais no Novo Testamento encontramos a orientação de como devemos fazer todas as coisas. Em I Co.14:40 aprendemos que devemos usar nossos dons, com ordem e decência, e no mesmo capítulo Paulo nos exorta a ter cuidado com os que estão de fora. Muitas práticas "cristãs" tem escabdalizado muitas pessoas e as afastado de Cristo. O vídeo aqui postado mostra a Ana Paula Valadão levando mulheres a um estado emocional descontrolado, falando em línguas e as interpretando ao mesmo tempo (este não é o modelo ensinado por Paulo em I Co.12 e 14).

video

Quero enfatizar que o culto cristão deve ter como base a PALAVRA DE DEUS, só ela é inspirada e proveitosa, só ela tem poder para nos moldar a imagem e semelhança de Cristo. O papel da igreja e de cada crente é adificação mútua, e não choro, delírio, línguas estranhas e desabafos que não produzem mudança alguma em direção à Cristo. Não devemos ser influenciados por pessoas, por modelos de cultos ou formas de ser igreja, copiando métodos de outros. Gosto das músicas do D.T., e algumas tem letras maravilhosas, outras nem tanto. Não estou criticando a Ana P. como pessoa e sim as esquisitices que ela e tantos outros tem feito, trazendo confusão ao povo de Deus. Talvez você questione minha posição dizendo que não posso julgar o coração destas pessos. Concordo! Mas existe uma forma de fazer as coisas para Deus. Ou será que Deus aceita qualquer coisa de nossa parte, apenas por acharmos que estamos sendo sinceros? Adoração que agrada a Deus é aquela que edifica o corpo de Cristo e que não traz escândalo para os de fora.
Pr. Daniel Barros

terça-feira, 7 de outubro de 2008

D.A. Carson Fala Sobre Adoração


D.A. Carson fala sobre Adoração
D. A. CarsonReferencia

Texto

Em uma era crescentemente desconfiada do pensamento (linear), há muito mais respeito pelos "sentimentos" em relação às coisas - seja um filme ou um culto da igreja. É perturbadoramente fácil fazer pesquisas sobre pessoas, especialmente pessoas jovens, migrando de igrejas com excelente pregação e ensino para alguma outra com música excelente porque, segundo é dito, há uma “melhor adoração” lá. Entretanto, precisamos pensar cuidadosamente sobre esse assunto. Vamos nos restringir, por enquanto, à adoração coletiva. Apesar de haver uma série de coisas que podem ser feitas para melhorar a adoração coletiva, há um sentido profundo em que a adoração de excelente qualidade simplesmente não pode ser obtida procurando-se adoração de excelente qualidade. Da mesma forma que, de acordo com Jesus, você não pode se encontrar até que você se perca, também você não pode achar adoração coletiva excelente até que você deixe de tentar achar adoração coletiva excelente e passe a procurar o próprio Deus. Apesar dos protestos, é de se perguntar se nós não estamos começando a adorar a adoração em lugar de adorar a Deus. Como um irmão certa vez colocou para mim, é algo parecido com aquelas pessoas que começam admirando o pôr-do-sol e logo começam a se admirar admirando o pôr-do-sol.
"A dificuldade é que depois que você cantou este refrão repetidamente três ou quatro vezes, você não avançou nada."
Este ponto é confirmado em uma música de louvor como “Esqueçamos de nós mesmos, exaltemos a Deus, e o adoremos". A dificuldade é que depois que você cantou este refrão repetidamente três ou quatro vezes, você não avançou nada. O modo com que você se esquece de você mesmo é focalizando em Deus - não é cantando sobre fazer isto, mas fazendo isto. É claro que também há muitas canções, cultos e sermões que ampliam nossa visão de Deus - seus atributos, suas obras, seu caráter, suas palavras. Alguns pensam que a adoração coletiva é boa porque está sendo viva quando poderia estar sendo sombria e tediosa. Mas ela também pode ser superficial quando está viva, deixando as pessoas descontentes e inquietas depois de alguns meses. Ovelhas deitam-se quando estão bem alimentadas (cf. Salmo 23:2); é mais provável que elas estejam inquietas quando estiverem com fome. "Alimente minhas ovelhas", Jesus ordenou a Pedro (João 21); e muitas ovelhas estão sem alimento. Se você deseja aprofundar a adoração do povo de Deus, acima de tudo aprofunde o entendimento dele quanto à inefável majestade em Sua Pessoa e em Suas obras.
Nós não esperamos que um mecânico discorra longamente sobre as maravilhas das suas ferramentas; nós esperamos que ele conserte o carro. Ele tem que saber usar as suas ferramentas, mas não deve perder de vista o alvo. Assim nós não ousamos focar na mecânica da adoração coletiva, perdendo de vista nossa meta. Nós focamos no próprio Deus, e assim nos tornamos mais piedosos e aprendemos a adorar – e, como efeito colateral, também aprendemos a edificar uns aos outros, suportar uns aos outros e desafiar uns aos outros.

Marcas de Uma Igreja Saudável

Cuidado em Promover o Discipulado Cristão e o Crescimento
Mark Dever

Outra marca distintiva de uma igreja saudável é uma preocupação penetrante com o crescimento da igreja - não simplesmente com o crescimento numérico, mas com o crescimento pessoal dos membros. Algumas pessoas pensam que alguém pode ser um "bebê em Cristo" pela vida inteira. O crescimento é visto como um item opcional reservado para discípulos particularmente zelosos. Entretanto, crescimento é um sinal de vida. Árvores que crescem são árvores vivas, e animais que crescem são animais vivos. Crescimento envolve aumento e avanço. Em muitas áreas da nossa experiência do dia a dia, quando algo deixa de crescer, morre.
Paulo esperava que os coríntios crescessem na sua fé Cristã (2 Coríntios 10:15). Os efésios, ele esperava, cresceriam “naquele que é o Cabeça, Cristo" (Efésios 4:15; cf. Colossenses 1:10; 2 Tessalonicenses 1:3). Pedro exortou alguns cristãos primitivos para que desejassem "como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que, por ele, vos seja dado crescimento para salvação" (1 Pedro 2:2). É tentador para os pastores reduzirem suas igrejas a estatísticas controláveis de freqüência, batismos, ofertas e membresia, nas quais o crescimento é tangível. Porém tais estatísticas ficam muito aquém do verdadeiro crescimento que Paulo descreve e que Deus deseja.
"Algumas pessoas pensam que alguém pode ser um "bebê em Cristo" pela vida inteira. O crescimento é visto como um item opcional reservado para discípulos particularmente zelosos."
No seu Treatise Concerning Religious Affections (Tratado Relativo ás Afeições Religiosas), Jonathan Edwards sugeriu que o verdadeiro crescimento no discipulado cristão não é, em última instância, mera excitação, uso crescente de linguagem religiosa, ou o conhecimento crescente das Escrituras. Não é nem mesmo um evidente acréscimo em alegria ou em amor ou em interesse pela igreja. Até mesmo o aumento no zelo e no louvor a Deus e a confiança da própria fé não são evidências infalíveis do verdadeiro crescimento cristão. O que é então? De acordo com Edwards, enquanto todas essas coisas podem ser evidências de um verdadeiro crescimento cristão, o único sinal observável certo é uma vida de santidade crescente, arraigada na abnegação cristã. A igreja deveria ser marcada por uma preocupação vital com este tipo de piedade crescente nas vidas de seus membros.
Como vimos na sétima marca, uma das conseqüências não intencionais da negligência da igreja com a disciplina é o aumento da dificuldade em ver discípulos crescendo. Em uma igreja indisciplinada, os exemplos não são claros e os modelos são confusos. Nenhum jardineiro planta intencionalmente ervas daninhas. Ervas daninhas são, por si mesmas, indesejáveis, e elas podem ter efeitos nocivos sobre as plantas ao redor. O plano de Deus para a igreja local não nos permite deixar que as ervas daninhas fujam ao controle.
Boas influências em uma comunidade de crentes podem ser ferramentas nas mãos de Deus para fazer o Seu povo crescer. Conforme o povo de Deus é edificado e cresce unido em santidade e no amor que se doa, deveria também melhorar sua habilidade de administrar a disciplina e encorajar o discipulado. A igreja tem a obrigação de ser um dos meios de Deus para o crescimento das pessoas na graça. Se, em vez disso, ela é um lugar onde só os pensamentos do pastor são ensinados, onde Deus é questionado mais do que adorado, onde o Evangelho é diluído e o evangelismo pervertido, onde a membresia da igreja é tornada sem sentido, e um culto mundano à personalidade é deixado crescer ao redor da pessoa do pastor, então dificilmente as pessoas podem esperar encontrar uma comunidade que é coesa ou edificante. Tal igreja certamente não glorificará a Deus.
"Como vimos na sétima marca, uma das conseqüências não intencionais da negligência da igreja com a disciplina é o aumento da dificuldade em ver discípulos crescendo."
Deus é glorificado por meio de igrejas que estão crescendo. Esse crescimento pode se manifestar de muitas formas diferentes: pelo aumento de pessoas chamadas para missões; por membros mais velhos que começam a sentir um senso renovado da sua responsabilidade no evangelismo; por meio de funerais a que os membros mais jovens da congregação comparecem simplesmente pelo amor que têm aos membros mais velhos; pelo aumento na oração, e pelo desejo por mais pregação; por reuniões da igreja caracterizadas por conversações genuinamente espirituais; pelo aumento nas ofertas, e por membros que ofertam mais sacrificialmente; por mais membros que compartilham o evangelho com outros; por pais que redescobrem a sua responsabilidade em educar seus filhos na fé. Esses são apenas alguns exemplos do tipo de crescimento na igreja pelo qual os cristãos oram e trabalham. Quando vemos uma igreja que é composta por membros que crescem na semelhança com Cristo quem recebe o crédito ou a glória? "O crescimento veio de Deus. De modo que nem o que planta é alguma coisa, nem o que rega, mas Deus, que dá o crescimento." (1 Coríntios 3:6b -7; cf. Colossenses 2:19). Portanto a bênção final de Pedro para aqueles cristãos primitivos a quem ele escreveu era uma oração expressa no imperativo: "crescei na graça e no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno. (2 Pedro 3:18)." Nós poderíamos pensar que nosso crescimento traria glória para nós mesmos. Mas Pedro sabia que não era assim. “Mantendo exemplar o vosso procedimento no meio dos gentios, para que, naquilo que falam contra vós outros como de malfeitores, observando-vos em vossas boas obras, glorifiquem a Deus no dia da visitação. (1 Pedro 2:12)." Ele obviamente lembrou-se das palavras de Jesus: Assim brilhe também a vossa luz diante dos homens, para que vejam as vossas boas obras” - e certamente aqui nós pensaríamos que seria natural cair na armadilha da auto-admiração, mas Jesus continuou - "e glorifiquem a vosso Pai que está nos céus" (Mateus 5:16). Trabalhar para promover o discipulado cristão e o crescimento é outra marca de uma igreja saudável.

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Moldando a Vontade da Criança


Ensine Respeito Pela Autoridade Enquanto Ainda São Crianças


O conselho mais enfático que posso dar aos pais de uma criança agressiva e independente é: estabeleçam posição de líderes firmes, porém amorosos, enquanto a criança ainda está na idade pré-escolar. Esse é o primeiro passo no sentido de ajuda-la a aprender a controlar seus impulsos fortes. Trata-se de uma questão séria e não há tempo a perder; uma criança naturalmente rebelde encontra-se numa categoria de alto risco de apresentar comportamentos anti-sociais mais adiante na vida. Há uma probabilidade maior de ela desafiar os professores na escol e questionar os valores que lhe foram ensinados. Em função do temperamento, ela se opõe a qualquer um que tenta lhe dizer o que fazer. Felizmente, esse resultado não é inevitável, pois os vários aspectos complexos da personalidade humana tornam impossível prever comportamentos com precisão. Porém, tudo aponta para essa direção. Portanto, insisto em meu conselho mais enfático aos pais: que comecem a moldar a vontade da criança particularmente agressiva logo cedo. (observe que não estou dizendo para anular, destruir ou reprimir a vontade, mas sim controla-la, para o bem da própria criança). Mas como fazer?
Em primeiro lugar, deixe-me dizer que você não deve buscar esse objetivo. Rispidez, indelicadeza e severidade não funcionam no processo de moldar a vontade de uma criança. Semelhantemente, palmadas, ameaças e críticas constantes são destrutivas e contraproducentes. Os pais se mostram ríspidos e zangados, a maior parte do tempo criam ressentimentos que ficarão guardados e que irromperão no relacionamento durante a adolescência ou mesmo depois. Portanto, é necessário aproveitar todas as oportunidades de tornar o ambiente do lar agradável, divertido e receptivo. Ao mesmo tempo, contudo, os pais devem manter uma conduta firme e austera. São vocês, pais e mães, que estão no controle. São vocês que mandam. Se os pais tiverem essa convicção, a criança rebelde também aceitará o fato. Infelizmente, muitas mães tratam os filhos pequenos com insegurança e hesitação. Se você as observar com os filhos no supermercado ou no aeroporto, verá como estão frustradas, zangadas e totalmente confusas sobre a maneira de lidar com este ou aquele mau comportamento. São pegas inteiramente desprevenidas pelas crises de birra, como se nunca as esperassem, quando, na verdade, comportamentos desse tipo vêm se repetindo há algum tempo.
Um pediatra amigo meu contou-me de um telefonema que recebeu da mãe aflita de um bebê de seis meses;
- Acho que ele está com febre – disse ela num tom nervoso.
- Você mediu a temperatura? – perguntou o médico.
- Não – respondeu a mãe. – Ele não me deixa colocar o termômetro.
Essa mãe ainda tem muitos problemas a enfrentar pela frente. E seu filho tem muito mais perigos a enfrentar. Logo, ele sentirá a insegurança dela e ocupará o espaço que ela está deixando ao não assumir o controle.
Assuma o controle da vontade de seu filho, castigue-o quando for rebelde, elogie-o quando for justo, mais sempre diga que o ama, seja qual for a situação.
Se um confronto com a criança for inevitável, vença essa batalha, mostre quem está no controle. Quando os pais perdem essas batalhas repetidamente, recorrendo a lágrimas, gritaria e outros sinais de frustração, algumas mudanças dramáticas ocorrem na maneira como são vistos pelos filhos. Em vez de serem líderes firmes e seguros de si, tornam-se covardes indecisos, indignos de respeito ou lealdade.

Dr. James Dobson (Educando crianças geniosas).

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Sexo ilícito e a Igreja


Como a igreja deve agir quando pecados sexuais acontecerem entre seus membros? Ou como as igrejas estão agindo quanto a isto?
Na verdade existem igrejas que fazem vista grossa para este e outros tipos de atos pecaminosos. Muitas não condenam abertamente a fornicação por que perderia muitos de seus jovens. Com certeza isto envergonha o nome do Senhor Jesus Cristo. A igreja não existe para agradar os homens, muito menos para passar a mão sobre o pecado como se ele fosse uma coisa boa. A Bíblia ensina que o pecado deve ser corrigido e abandonado, e que os ofensores devem ser disciplinados. As igrejas mais conservadores desligam do seu rol de membros o casal em pecado. Outras usam de uma disciplina mais amena, afastando-os de suas funções por certo tempo, onde eles receberam acompanhamento de um casal, aos quais deveram prestar contas e obedecer regras impostas pelos seus próprios pais e pela igreja. Qual destas é a melhor maneira de tratar pecado sexuais na igreja? Bem, a discussão vai longe, mas, o apóstolo Paulo foi severo ao tratar de um caso semelhante na igreja de Corinto. Veja I Co. Capítulo 5, aqui Paulo afirma que quem pratica pecados sexuais ilícitos devem ser tirados do meio da igreja vs.2,11. A igreja tem o poder de julgar os seus e tomar decisões que lhe aprouverem, independente do nosso ponto de vista quanto a melhor maneira de tratar destes assuntos. Creio que nesta hora o Espírito Santo orienta a igreja no que fazer. A verdade é que o pecado tem que ser abandonado.
Nosso maior desejo é que os jovens, maridos e esposas, procurem ser fiéis ao Senhor com toda a força de suas vidas, para que a igreja do Senhor triunfo sobre as astutas ciladas do diabo.
“Como purificara o jovem o seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra” salmo 119:9.

Desperta Igreja!

Aviva-nos Senhor!

Não há dúvida de que a igreja evangélica brasileira cresceu e muito em termos numéricos, mas fica evidente que a falta de relevância desta mesma igreja na sociedade demonstra que não houve avivamento bíblico. O que é avivamento bíblico? No Antigo Testamento:O verbo hebraico hyh (avivar) tem o significado primário de "preservar" ou "manter vivo". Porém, "avivar" não significa somente preservar ou manter vivo, mas também purificar, corrigir e livrar do mal. Esta é uma conseqüência natural em toda vez que Deus aviva. Na história de cada avivamento, dentro ou fora da Bíblia, lemos que Deus purifica, livra do mal e do pecado, tira a escória e as coisas que estavam impedindo o progresso da causa. No Novo Testamento outras palavras gregas comparam o avivamento ao reacender de uma chama que se apaga aos poucos ou uma planta que lança novos brotos e "floresce novamente". Estritamente falando, avivamento é algo que acontece unicamente no meio do povo de Deus. O Espírito Santo renova, reaviva e desperta a igreja sonolenta. É revitalização onde já existe vida. Ou, como disse Robert Coleman, é "o retorno de algo à sua verdadeira natureza e propósito". Como a própria expressão define, neste sentido não apenas a igreja, mas a sociedade não-cristã também é beneficiada pelo avivamento. Isto acontece porque, além da atuação soberana do Espírito Santo no mundo, na igreja passa a existir uma conscientização profunda de sua missão; isto é, a missão integral de servir o mundo evangelística e socialmente. No avivamento a igreja vive a missão para a qual foi chamada. Creio que todo avivamento começa pelo amor a Palavra de Deus, que é mais doce que o mel e mais preciosa que o ouro. A Palavra de Deus é nosso alimento espiritual, que renova nosso entendimento e nos ensina a sermos discípulos maduros e fiéis de Cristo. Precisamos de avivamento para sermos cristãos contagiantes, que amam a comunhão da igreja e que zelam pela pureza do corpo de Cristo e sua influência na sociedade. Se você como eu, deseja um avivamento, voltemos para a Palavra de Deus, ela é a nossa única fonte de vida. É importante ressaltar que nem tudo que acontece na igreja brasileira é fruto de avivamento, pois o avivamento bíblico não trás confusão ou divisão ao corpo de Cristo e muito menos escândalo para os de fora. Que nós da Congregação Batista em Vila dos Remédios possamos buscar um verdadeiro avivamento bíblico.

Pr. Daniel Barros