Amazon MP3 Clips

quinta-feira, 4 de dezembro de 2008

A Luta Da Igreja Pela Verdade


Estamos vivendo em uma sociedade pós-moderna que enxerga a verdade de uma forma totalmente diferente de como Deus a estabeleceu. Cada um tem a sua verdade e todas as verdades são verdades, o que importa é que eu sinta que esta verdade serve para mim.
E a igreja tem acompanhado essas mudanças, mas a sua atitude tem sido apática ou tem se moldado conforme a sua conveniência, são poucos que estão remando contra a maré.
Analisando o texto de João 18: 28-38, olhando para o versículo 38, Pilatos questiona Jesus sobre a sua verdade, fica claro que o pensamento pós-moderno já existia na antigüidade. A pergunta de Pilatos ecoa até hoje em nossa sociedade: “O que é verdade?” Parece que Pilatos não queria saber o que era verdade, pois ele já tinha a sua, os Judeus já tinham a deles, cada um tinha a sua verdade, a verdade de Jesus pouco interessava a eles.
A pergunta que Pilatos fez a Jesus foi porque Jesus disse que o seu reinado tem um propósito, que é testemunhar da verdade, e só os que são da verdade o ouvem (v.37). Talvez Pilatos tenha pensado: “este é mais um que diz ter a verdade como cada um tem a sua”.
Pilatos não ouviu a verdade, até se tornou indiferente a sua própria pergunta, pois a pergunta foi irônica, sendo assim, nem ele, nem todos os que o acusavam eram da verdade.
O pós-modernismo tem se infiltrado no meio da igreja questionando a verdade, mas não com interesse de buscar conhecê-la, mas com o propósito de moldar a verdade, mostrando que a verdade é subjetiva, ela é vista e entendida conforme a minha cosmovisão.
A Igreja tem deixado de pregar a verdade como verdade, tem permitido que dentro dela sejam feitas perguntas irônicas como a de Pilatos; o problema não se resume na pergunta, mas nas atitudes por detrás dela. Crentes cada vez mais buscando a satisfação do seu ego, esforçando-se para tornar-se aceitável ao mundo. Até quando iremos tolerar tal atitude pós-modernista, que é utilizada por Satanás para ferir os princípios bíblicos estabelecidos por Deus?
Não quero dizer que não devemos conhecer a pós-modernidade, até porque estamos vivendo nela. Devemos nos empenhar em conhecer como as pessoas têm visto o mundo e as verdades oferecidas, pois só desta maneira poderemos alcançar esta geração e as futuras – conhecê-la não quer dizer moldar-se a ela.
Há uma infinidade de evangelho sendo oferecido, há para todos os gostos, um verdadeiro mix é oferecido, é só colocar no carrinho pagar o preço e levá-lo. Por outro lado, temos os que se fecham dentro das quatro paredes de seus templos com medo de serem contaminados e vivem uma utopia que ainda insistem em chamar de cristianismo.
Precisamos aprender com o Mestre, Ele foi e é o nosso maior exemplo de fé e prática, a verdade está nEle e Ele é a Verdade - “Jesus disse: Eu sou o caminho, a verdade e a vida…” (João 14:6).
O propósito de Cristo era testemunhar da verdade (v.37), ele sabia para que existia e pagou um alto preço por isso, onde muitos julgavam que sua verdade não era verdade.
Ele diz ainda que só o ouviriam aquelas pessoas que fossem da verdade. É necessário estar abertos para a verdade de Jesus, pois ela é que produz libertação, “E conhecereis a verdade e a verdade os libertará” (João 8:32).
Quanto mais a igreja se aproxima do seu EU, pensando que está buscando a verdade, mais ela se afasta de Deus buscando a mentira.
Uma guerra está sendo travada contra a verdade - ou estamos de um lado ou de outro, não existe campo neutro. O inimigo já arrebanhou muitos em nossas igrejas; é hora de combatermos essas heresias que tem entrado no nosso meio, defendendo a nossa fé.
A arma que temos para isso é espiritual; para muitos pode não parecer, mas a nossa luta acontece nas regiões celestiais. A mentira deve ser combatida com a verdade e nós temos a verdade e ela é suficiente para combatê-la.
Algumas atitudes que a igreja pode tomar para combater a mentira e heresias que vêm ceifando muitos:
1 – Pregar a verdade – Ela está na Bíblia e é a Palavra de Deus
2 – Promover seminários e estudos que falem das heresias e seitas
3 – Quando perceber movimentos heréticos se aproximando da igreja, cortar o mal pela raiz
4 – Investir constantemente no discipulado
5 – Quando alguém de outra igreja estiver migrando para a sua igreja, entenda o que ela crê e discipule-a.
6 – Mostre amor por aqueles que estão tentando deturpar a verdade, mas repudie a mentira
7 – Não tenha medo, o Senhor é contigo.
Fonte: Amme Evangelizar

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Solidariedade


Solidariedade deve ser uma prática de todo ser humano, independente de religião, partido político ou filosofia de vida. Fazer boas obras não determina se a pessoa é boa parente Deus e que através disso vai garantie a sua salvação. Ao tentar evangelizar um católico, ele me disse que não adianta só falar do evangelho, e que ele estava praticando o verdadeiro evangelho ao fazer boas obras, se referindo ao desastre em Santa Catarina.
Essa idéia está errado, pois o verdadeiro evangelho não consiste em dar algo material a alguém, e sim, receber algo espiritual de Deus em Cristo. A maior obra que alguém pode fazer, é a de levar o evangelho da salvãção aos perdidos, pois Cristo disse, "de graça recebestes, de graça dai".
Como cristãos temos que entender e afirmar ao sermos questionados por católicos ou espíritas que nós fazemos boas obras sim e muito mais do que eles, pois a maior obra de todas e pregar o evangelho, que leva o homem ao arrependimento e a vida eterna. Claro que não podemos esquecer da solidariedade para com todos, pois a Bíblia diz "façamos bem a todos, principalmente ao domésticos da fé". Sendo assim, vamos ajudar nossos compatriotas catarinenses nessa fase difícil de duas vidas, orando para que eles possam abrir o coração para a Palavra de Deus. Nesta figura ao lado você encontra a informação de como ajudar financeiramente.
Pr. Daniel Barros